IMPRENSA | Clipping |

Clipping - 09/02/2018


CDL de Florianópolis

NSC: Jornal do Almoço
Pauta: Moradores em situação de rua
Clique aqui para assistir na íntegra.

Fonte: Notícias do Dia


Geral

Fonte: Notícias do Dia

Confira o que abre e o que fecha no feriadão de Carnaval em Florianópolis

Horários e serviços para se organizar e curtir a festa com tranquilidade

Uma das datas festivas mais aguardadas chegou! É carnaval em Florianópolis e a cidade já está toda colorida para uma das festas mais quentes do ano. A programação ocorrerá principalmente no Centro da Capital, mas também contemplará alguns bairros. Como a cidade para nessa grande festa, prepararmos uma lista de serviços e horários para você se organizar e aproveitar a festa com tranquilidade.

Transporte coletivo
Durante as festas de Carnaval o transporte público vai sofrer alterações durante o dia e na madrugada. Além das linhas que já existem, a prefeitura informou que vai disponibilizar 30 ônibus extras, que vão ser utilizados conforme a demanda.

O transporte convencional e executivo vão funcionar da seguinte maneira:

Dia 09/02 (sexta-feira) – Horário de dias úteis;
Dia 10/02 (sábado) – Horário de sábado;
Dia 11/02 (domingo) – Horário de domingo;
Dia 12/02 (segunda-feira) – Horário de dias úteis;
Dia 13/02 (terça-feira) – Horário de domingo;
Dia 14/02 (quarta-feira) – Horário de dias úteis.

Madrugadão
O Enterro da Tristeza, com o desfile do Bloco S.O.S, acontece nesta quinta-feira (8). Com isso o Madrugadão vai começar a funcionar a partir da zero hora de sexta (9). Durante todos os dias do Carnaval, o Madrugadão vai funcionar com reforço da frota para todos os Bairros de Florianópolis.

Bancos
As agências estarão sem atendimento na segunda-feira (12), terça-feira (13) e quarta-feira (14) pela manhã. Conforme a Febraban, as agências reabrem na quarta-feira (14), ao meio-dia.

Coleta de lixo
Conforme a Comcap, nos dias 9, 10, 11 e 12 coleta convencional e seletiva serão feitas normalmente. Na terça-feira (13), será feita a coleta diurna nos balneários do Norte, Oeste, Leste e Sul da Ilha - não haverá coleta noturna no Centro nem nos bairros, nem coleta seletiva. Na quarta-feira (14), o serviço volta a ocorrer normalmente.

Casan e Celesc
A Casan afirmou que trabalhará com equipes ampliadas em todos os seus setores operacionais e em sua Central de Atendimento, que funciona 24 horas pelo número 0800 643 0195. A companhia também recebe demandas pelo chat online, disponível 24 horas no site www.casan.com.br. O atendimento presencial nas agências retorna às 13h da Quarta-feira de Cinzas.

Já a Celesc informa que as lojas de atendimento não irão funcionar na segunda e na terça-feira (12 e 13 de fevereiro). Na Quarta-feira de Cinzas (14), as lojas voltam a atender a partir das 13h. Para informar falta de luz, o consumidor pode enviar um SMS para o número 48196 com a mensagem SEM LUZ + o número da unidade consumidora ou CPF do titular da fatura. Outras informações podem ser obtidas a qualquer tempo pelo site www.celesc.com.br, que também conta com atendimento online. O contato com a empresa pode ser feito ainda pelo Contact Center pelo 0800 48 0120 para assuntos comerciais ou 0800 48 0196 para emergências na rede elétrica.

Comércio
A partir do sábado (10), as lojas funcionam em ponto facultativo e voltam a abrir normalmente na quarta-feira de cinzas.

Educação
O ano letivo na rede municipal de ensino de Florianópolis iniciará no dia 19 de fevereiro.

Mercado Público
No sábado (10), ala norte e peixarias funcionam das 7 às 14h. Os bares e restaurante funcionam das 7 às 18h. No domingo (11), bares e restaurante abrem das 10 às 17h. Na segunda-feira (12), ala norte e peixarias abrem das 7 às 19h. Bares e restaurantes abrem das 7 às 23h. Na terça-feira (13), bares e restaurantes abrem das 10 às 17h. Na quarta-feira horário normal, a partir das 7h.

Saúde
Os postos de saúde em Florianópolis não funcionam no feriado de Carnaval, reabrindo na quarta-feira (14), a partir das 13h. As UPAs Sul e Norte atenderão normalmente todos os dias, 24 horas. A Vigilância Sanitária e a Vigilância Epidemiológica também terão equipe de plantão para casos emergenciais durante o feriado.

Shoppings
O Beiramar Shopping terá horário diferenciado no Carnaval. Na terça-feira (13), as lojas abrirão das 14h às 20h e a praça de alimentação e áreas de lazer das 11h às 22h. Já na Quarta-feira de Cinzas (14), as lojas funcionarão das 12h às 22h e a praça de alimentação e áreas de lazer das 11h às 22h. Na quinta-feira (15), o Beiramar Shopping volta a operar com horário normal de funcionamento.

Já o Shopping Iguatemi Florianópolis funciona com todas as operações no sábado (10), das 10h às 22h. No domingo (11), as lojas abrem das 14h às 20h. Áreas de alimentação e lazer, das 11h às 22h. Na segunda-feira (12), o shopping oferece todas as operações, das 10h às 22h. Na terça-feira (13), áreas de alimentação e lazer funcionam das 11h às 22h. Lojas, das 14h às 20h. Já na quarta-feira (14), todas as operações voltam a funcionar, a partir das 12h até as 22h.

No Floripa Shopping, o sábado (10) será de horário normal, das 10h às 22h. No domingo (11), a praça de alimentação abre das 11h às 21h. Lojas, das 14h às 20h. Cinema conforme a grade de programação. Na segunda-feira (12), a praça de alimentação, lojas e cinema funcionam das 10h às 22h. Na terça-feira (13), a praça de alimentação abre das 11h às 21h. Lojas, das 14h às 20h. Cinema conforme a grade de programação. Na quarta-feira (14), horário normal das 10h às 22h.

Supermercados

Hippo
-Sábado (10) - Horário normal: Alvim e Lamego - 8h às 21h; Coqueiros - 8h às 22h; Pedra Branca - 9h às 21h30.
-Domingo (11) - FECHADO
-Segunda (12) - Horário normal: Alvim e Coqueiros - 8h às 22h; Lamego - 8h às 21h; Pedra Branca - 9h às 21h30.
-Terça (13) – FERIADO - Apenas Coqueiros - 9h às 21h.
-Quarta (14)- Horário normal: Alvim e Coqueiros - 8h às 22h; Lamego - 8h às 21h; Pedra Branca - 9h às 21h30.

Bistek
-Costeira do Pirajubaé
Segunda a sexta das 8h às 23h
Sábado das 7h30 às 23h
Domingo das 8h às 22h
Feriado Horário Normal

-Monte Verde
Segunda a sábado das 7h30 às 21h30
Domingo 7h30 às 20h
Feriado Horário Normal

- Morro das Pedras
Segunda a Domingo das 7h30 às 23h
Feriado Horário Normal

Angeloni
O Angeloni abrirá todos os dias em horário normal de loja, das 9h às 22h.


Fonte: Notícias do Dia

Prisão de João Rodrigues muda cenário pré-eleitoral em Santa Catarina

Deputado atuava como articulador em busca de alianças para o PSD nas próprias eleições

Preso em Guarulhos, em uma rota nada convencional para voltar ao Brasil que tinha como destino final o Paraguai e já sabendo de seu mandado de prisão, o deputado federal João Rodrigues (PSD-SC) acabou passando a noite Porto Alegre, para onde foi levado em voo comercial escoltado por policiais federais. A prisão do deputado, que detido no Rio Grande do Sul dificilmente conseguirá cumprir mandato por estar a milhares de quilômetros do Congresso Nacional, também joga por terra os planos que vinha traçando para as eleições ao governo do de Santa Catarina neste ano de 2018.

Em novembro, João Rodrigues apresentou ao governador Raimundo Colombo uma alternativa ao projeto do deputado estadual Gelson Merísio, até então único pré-candidato do partido, agindo como articulador em busca de aliança de partidos. Diferente do cenário proposto por Merísio, que não prevê uma coligação com o MDB, por exemplo, a frente de atuação de Rodrigues permitiria qualquer aliança, menos com PT e PCdoB. Inclusive, chegou a lançar seu nome como pré-candidato.

Em um dos possíveis cenários, João Rodrigues poderia ser candidato a vice-governador na aliança com o MDB tendo Mauro Mariani na cabeça de chapa. Com Rodrigues como interlocutor, não estava descartada, sequer, a possibilidade de reedição da tríplice aliança com PSD, PSDB e MDB. Rodrigues ainda estaria costurando um possível cenário que incluiria o PP, aí sem o MDB, agindo como articulador em todas as possíveis alianças.

“Ele era um grande protagonista neste processo sucessório da política catarinense. Foi um duro golpe que terá impacto para ele e para o partido”, disse o deputado federal Esperidião Amin (PP). Amin confirmou conversações entre os dois partidos para as eleições deste ano. “A aliança PP e PSD é nossa preferência”, comentou.

Décio Lima (PT), que também tem sido cogitado a uma possível candidatura ao governo do Estado, disse não ver ligações entre a prisão de Rodrigues e o processo de Lula —o caso de Rodrigues é o primeiro desde a condenação de Lula e pode ser usado como parâmetro para pedido de prisão dos ex-presidente pela acusação.

“Apesar de ser um adversário político, não posso dizer que há ligação entre os processos. Seria muito fácil de minha parte nesse momento tripudiar da prisão, mas me reservo a minha condição de acadêmico de direito”, disse Décio.

A corrida eleitoral sem Rodrigues fortalece os planos de Merísio e da candidatura próprio do partido. Procurado, Merísio, que também é presidente estadual do partido, não quis se manifestar.

A reportagem também procurou Mauro Mariani e o senador Paulo Bauer (PSDB), também pré-candidatos, para comentar o cenário político após a prisão de Rodrigues, mas eles não foram encontrados.


Fonte: Notícias do Dia

CGU não autorizou substituição do Corregedor-Geral da UFSC

Universidade anunciou troca de comando do órgão correcional na quarta (7), data em que Rodolfo do Prado voltaria de licença médica

Órgão Central do sistema de correição do governo federal, a CGU (Controladoria-Geral da União), em Brasília, informou nesta quinta-feira (8) que o pedido para substituição do corregedor-geral da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Rodolfo Hickel do Prado, não foi autorizado pelo órgão e ainda encontra-se em análise. Hickel foi afastado na última quarta-feira pelo reitor pro tempore Ubaldo Balthazar que em seu lugar nomeou Ronaldo David Viana Barbosa. Hickel, que estava afastado por questões médicas, retornaria à universidade na quarta, data em que foi afastado.

Segundo a CGU, a nomeação de corregedores deve obedecer o Decreto 5.480/2005 que estabelece, além de mandato de dois anos, a necessidade de apreciação prévia pelo órgão central do sistema de correição. Já a universidade defende sua autonomia e autonomia do reitor em fazer nomeações.

Na quarta, a Administração central da UFSC anunciou a mudança na corregedoria por meio de nota publicada no site da universidade onde aponta que a decisão do reitor foi tomada em reunião colegiada e levou em consideração a perda da confiança da gestão atual em Rodolfo Hickel e a prerrogativa do reitor em designar os ocupantes de funções gratificadas e cargos de direção. Na nota, a Administração diz que a mudança já havia sido comunicada à CGU em Brasília, mas que “não houve daquela instância nenhuma manifestação contrária”.

Por meio de assessoria de imprensa, A CGU confirmou ter recebido a solicitação da UFSC, mas rechaçou a substituição do corregedor geral por falta de “manifestação contrária”:

“Não houve autorização prévia da CGU para tais atos administrativos. Igualmente, inexiste hipótese de autorização tácita para designação de quaisquer titulares de corregedorias seccionais em decorrência de ausência de manifestação do Órgão Central. Tais autorizações devem ser precedidas de análise por parte da CGU”, informou o órgão.

A CGU ainda informou que a ação “unilateral” a UFSC será analisada juntamente com o pedido: “A correspondência da UFSC foi recebida pela CGU no início desta semana e encontra-se em análise, inclusive com relação à atuação unilateral da universidade. Ademais, investigações relacionadas à UFSC e a sua Corregedoria-Geral estão em curso neste Ministério”, manifestou o órgão de correição.

Procurado, o chefe de gabinete Áureo de Moraes disse que a reitoria justificou a substituição no pedido encaminhado à CGU na última segunda-feira. “Nós encaminhamos ofício e não houve manifestação contrária. Essa foi uma decisão tomada diante de todos os fatos. O próprio corregedor é investigado e diante da intranquilidade o reitor, que tem poder de nomear os chefes de departamentos, decidiu pelo afastamento”, afirmou.

Sobre a possibilidade de haver retaliações do órgão central, Moraes informou que a UFSC não ainda não foi oficializada do posicionamento da CGU e que ele pode vir, inclusive, em concordância com substituição.


Fonte: Diário Catarinense

Produção industrial de SC cresce 4,5% em 2017, a segunda maior alta do país

Com expansões maiores nos setores de metalurgia, veículos e alimentos, Santa Catarina alcançou em 2017 crescimento de 4,5% na produção industrial em relação ao ano anterior, o segundo melhor resultado do Brasil, atrás apenas do Pará que teve expansão de 10,1% graças à indústria extrativa. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal do IBGE. Em dezembro frente ao mesmo mês do ano passado, o Estado registrou alta de 3,9% e na comparação com o mês anterior, novembro, 1,6%. A produção industrial brasileira cresceu 2,5% em 2017, com expansão de 4,3% em dezembro na comparação com o mesmo mês de 2016 e alta de 2,8% frente ao mês anterior.

Graças ao crescimento acelerado do setor de veículos que demandou mais autopeças, o setor metalúrgico catarinense liderou o crescimento industrial ano passado, com alta de 27,3%, seguido pelo setor de veículos, reboques e carrocerias que cresceu 10,6%, e o de alimentos, que teve alta de 7,1%. Também tiveram crescimento expressivo os setores de máquinas e equipamentos (4,5%), papel e celulose (4,2%), confecções e acessórios (3,6%) e o têxtil (2%). A maior retração ocorreu no setor de plástico e borracha (-4%). Os demais setores praticamente tiveram resultado semelhante ao de 2016.


Fonte: Diário Catarinense

Após seis anos de tramitação, Temer assina marco legal da ciência, tecnologia e

Enfim, após seis anos de tramitação o presidente Michel Temer assinou na quinta-feira o decreto que regulamenta o novo marco legal da ciência, tecnologia e inovação. O objetivo é impulsionar a inovação e colocar o mundo acadêmico mais próximo do setor privado. Boa parte desse trabalho foi liderado pelo presidente da Fapesc, Sergio Gargioni, que participou do evento em Brasília.


Fonte: SPC Brasil

Inadimplência do consumidor abre o ano com alta de 2,10%, revela indicador do SPC Brasil e CNDL

Ao contrário do número de devedores que cresceu nesse início de ano, volume de dívidas cai -1,94% em janeiro. Em cada dez dívidas pendentes no Brasil, cinco são com instituições bancárias

Apesar dos sinais mais claros de retomada da economia, a inadimplência do consumidor vem se mantendo em um patamar elevado. Segundo dados apurados pelo Indicador de Inadimplência do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o volume de brasileiros com contas em atrasos e com restrições no CPF abriu o ano de 2018 com alta de 2,10% na comparação com o mês de janeiro do ano passado. Trata-se do crescimento mais expressivo desde junho de 2016, quando a alta fora de 2,78%. Na comparação mensal, ou seja, com dezembro de 2017, sem ajuste sazonal, o aumento na quantidade de devedores foi de 0,96%, a maior desde maio do ano passado.

Segundo estimativa do SPC Brasil e da CNDL, atualmente são mais de 60,7 milhões de consumidores brasileiros inscritos em cadastros de inadimplentes, número que representa aproximadamente 40% da população adulta que reside no país.

Especialistas do SPC Brasil alertam para o risco de descontrole do orçamento nos primeiros meses do ano, período de despesas sazonais como materiais escolares, impostos e rescaldo das compras parceladas no fim de ano. “Para os próximos meses, espera-se que o volume de atrasos inicie um processo lento de recuo, caso se confirmem as projeções de inflação bem controlada, juros baixos e melhora dos indicadores de atividade. Ainda assim, o que mais favorecerá um ciclo de queda da inadimplência será uma recuperação mais acentuada do mercado de trabalho e a volta de ganhos na renda real do consumidor, que ainda não se recuperou das quedas dos últimos anos”, explica o presidente da CNDL, José Cesar da Costa.

Sudeste lidera em quantidade de inadimplentes e o Norte, em proporção

De acordo com o indicador, a região Sudeste concentra o maior número absoluto de consumidores negativados no país: 25,7 milhões de brasileiros, o que representa 39% da população adulta da região. A segunda região com maior número absoluto de devedores é o Nordeste, que conta com 16,5 milhões de negativados, ou 41% da população que reside nessa região. Em seguida, aparecem o Sul, com 8,2 milhões de inadimplentes (37% da população adulta), o Norte, com 5,4 milhões de devedores (45% do total da população residente, a maior entre as cinco regiões) e o Centro-Oeste, que por sua vez, aparece com um total de 4,9 milhões de inadimplentes, ou 42% da sua população.

Metade da população entre 30 e 39 anos está com o CPF negativado

A estimativa por faixa etária revela que é entre os 30 e 39 anos que se observa a maior frequência de consumidores inadimplentes. Metade (50%) da população nesta faixa etária iniciou o ano de 2018 com o nome inscrito em alguma lista de devedores – um total de 17,3 milhões de consumidores nessa situação. Também merece destaque uma porcentagem significativa da população com idade entre 40 e 49 anos estar negativada: 13,4 milhões, ou 48% do total dessa população. Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, “é nessa fase da vida em que a corrida ao crédito acaba sendo inevitável, pois muitos já constituíram família, possuem filhos e assumem mais compromissos financeiros. Em um momento de crise, pode ser difícil equilibrar o orçamento se não houver controle e disciplina”, explica a economista.

O indicador ainda revela que entre os mais jovens, com idade entre 18 e 24 anos, a proporção de inadimplentes cai para 20% - em número absoluto, são 4,8 milhões. Já a população idosa, considerando-se a faixa etária entre 65 a 84 anos, a proporção é de 31%, o que representa cinco milhões de pessoas com o CPF inscritos em cadastros de inadimplentes.

Nas demais faixas etárias são 7,8 milhões de inadimplentes entre 25 e 29 anos; 12,2 milhões entre os que têm 50 e 64 anos e aproximadamente 232 mil idosos acima dos 85 anos que estão com o CPF restritos.

Número de dívidas diminui -1,94% em janeiro. Queda mais expressiva foi com contas de água e luz e no crediário com o comércio

Outro indicador mensurado pelo SPC Brasil e pela CNDL é o de volume de dívidas atrasadas. Nesse caso, houve uma variação negativa de -1,94% na comparação anual – janeiro de 2018 frente ao mesmo mês de 2017. Já na comparação mensal, frente a dezembro de 2017, foi observado uma leve alta de +0,87%.

“A quantidade de dívidas em atraso desacelera de forma mais intensa do que o número de devedores negativados. Isso quer dizer que o consumidor inadimplente tem iniciado o pagamento de dívidas em atraso aos poucos. Como consumidor inadimplente tem em médias, duas dívidas em atraso, ainda que ele quite uma, seu CPF continua restrito por causa da outra dívida”, explica a economista Marcela Kawauti.

De acordo com o SPC Brasil, os atrasos com empresas concessionárias de serviços básicos como água e luz foi o que mostrou a maior queda de dívidas em janeiro. Na comparação anual, as pendências de pessoas físicas com o setor caíram -7,12%. Os atrasos no comércio, geralmente realizadas no boleto ou crediário, também apresentaram uma retração expressiva de -6,97%.

As dívidas bancárias, que contemplam atrasos no cartão de crédito, financiamentos, empréstimos e seguros apresentaram alta de 1,69% no período, enquanto o setor de comunicação, que engloba atrasos em contas de telefonia, internet e TV por assinatura apresentaram a alta mais elevada, com 9,01% a mais de atrasos na comparação com janeiro do ano passado.

De acordo com o indicador do SPC Brasil, cinco em cada dez dívidas pendentes (51%) de pessoas físicas no país têm como credor algum banco ou instituição financeira. A segunda maior representatividade fica por conta do comércio, que concentra 18% do total de dívidas não pagas, seguido pelo setor de comunicação (14%). Os débitos com as empresas concessionárias de serviços básicos como água e luz representam 8% das dívidas não pagas no Brasil.

Metodologia

O indicador de inadimplência do consumidor sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados às quais o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) têm acesso. As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação. A estimativa do número de inadimplentes apresenta erro aproximado de 4 p.p., a um intervalo de confiança de 95%.


Fonte: Exame

Petrobras faz o maior corte no preço da gasolina em quase 3 meses

São Paulo – A Petrobras anunciou que reduzirá os preços da gasolina em 3 por cento nas refinarias a partir de 9 de fevereiro, o maior corte desde 17 de novembro, de acordo com comunicado em seu site.

No caso do diesel, a Petrobras reduzirá os preços nas refinarias em 2,6 por cento a partir de sexta-feira, maior redução desde 2 de dezembro.

O reajuste faz parte da nova sistemática de formação de preços da companhia, em vigor desde julho do ano passado e que procura seguir as oscilações no mercado internacional, entre outros parâmetros.

Na quarta-feira, os preços do petróleo recuaram em razão de estoques e produção elevados nos Estados Unidos.

A redução acentuada dos preços ocorre em meio a declarações de autoridades de que distribuidoras e revendedores não estão repassando cortes recentes feitos pela Petrobras nas refinarias.

Acompanhe a CDL de Florianópolis nas redes sociais:

Facebook Twitter Instagram YoutubeCDL de Florianópolis

Para garantir que nossos informativos cheguem à sua caixa de entrada, adicione
o e-mail contato@newscdlfpolis.com.br ao seu catálogo de endereços.

Voltar