IMPRENSA | Articulações Políticas |

Empresários fazem limpeza nas ruas do Centro Histórico de Florianópolis durante o feriado

A ação foi organizada pela CDL por meio do Núcleo Regional

Para a maioria das pessoas o feriado é dia de descansar e aproveitar momentos de lazer ao lado da família, mas para um grupo de empresários de Florianópolis, o dia de Proclamação da República, nesta quarta-feira (15), foi reservado para colocar a mão na massa e fazer uma limpeza na região Leste do Centro Histórico da cidade.

Organizada pela CDL de Florianópolis, a primeira edição Mutirão de Limpeza Voluntário, teve como objetivo limpar e melhorar o aspecto das ruas. “Reunimo-nos hoje para mostrar que estamos em movimento, que não estamos acomodados com a situação dessa região do Centro. Esperamos que o poder público olhe para nós e não deixe morrer a vitalidade desse lugar. Queremos a revitalização dessa área, pois entendemos que o meio em que se vive é essencial para que um ciclo todo funcione, como desenvolvimento, economia, qualidade de vida, entre outros”, argumentou o Hélio Leite, gerente de articulação de negócios da CDL de Florianópolis.

Segundo Leite, o dia com sol e calor foi perfeito para a limpeza das ruas, fachadas, pinturas e recolhimento de lixo. O mutirão começou às 9h e foi até as 15h, contando com quase 200 voluntários. “O dia está calmo, sem movimento nessa região, o que facilita a limpeza. Vemos paredes pichadas, lixos espalhados e estruturas danificadas pelos vândalos. Nossa parte como sociedade civil está sendo feita, aguardamos a colaboração do poder público fazer a sua parte”, pediu.

Foram distribuídos sete compressores de água aos voluntários e materiais de limpeza para o mutirão nas ruas Victor Meirelles, Tiradentes, João Pinto, Antônio Luz, Saldanha Marinho, Nunes Machado e travessa Ratcliff. Um dos voluntários, Roberto Koerich, gerente de vendas, foi cedo até no Centro, pronto para trabalhar em prol da cidade. “Mesmo sendo feriado e um dia lindo de sol, vale muito a pena estar aqui. É uma união grande para salvar essa região, que se deixarmos vai morrer, será tomada pelos vândalos e moradores em situação de rua”, destacou Koerich.

Fonte: Notícias do Dia.

Voltar