Clipping - 16/12/2017


CDL de Florianópolis

Ric Record: SC no Ar
Pauta: Movimento do Natal
Clique aqui para assistir na íntegra.

Geral

Fonte: Notícias do Dia

Florianópolis não tem fiscalização eletrônica fixa para veículos pela quarta temporada

Desligamentos de dois equipamentos na Via Expressa faz com que Capital conte apenas dispositivos móveis

Com o desligamento no início de novembro de dois radares fixos pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes) nos primeiros quilômetros da BR-282 (Via Expressa), Florianópolis passou a não contar com a fiscalização eletrônica em todas as estradas. Os equipamentos no município foram retirados em 20 de dezembro de 2014, após a Operação Ave de Rapina, da Polícia Federal, e nunca mais foram recolocados. Já as rodovias estaduais não podem ter os radares fixos em função a Lei 12.142, de 2002, de autoria do ex-deputado Paulo Bornhausen. Para os especialistas, as vidas dos pedestres e dos motoristas de bem estão em risco devido a falta de fiscalização.

Para o presidente do Cetran (Conselho Estadual de Trânsito), Luiz Antonio de Souza, a situação fica mais grave em função da falta de efetivo das forças policiais que devem fiscalizar. “Os equipamentos eletrônicos fixos são um auxílio importante no combate as ilicitudes e atrocidades que estamos acostumados a ver nas ruas, avenidas e rodovias. Sou defensor de uma abordagem pedagógica presencial, mas sem efetivo fica difícil. Um estudo demonstra que para cada morte no trânsito, outras 10 pessoas ficam gravemente feridas”, observou.

A fiscalização eletrônica tem por finalidade controlar o excesso de velocidade e o desrespeito as regras de trânsito, como furar um semáforo na cor vermelha ou parar sobre a faixa de pedestres. Com o grande número de visitantes durante as festas de fim de ano na capital catarinense, as imprudências crescem na mesma proporção.

Florianópolis tem uma frota com 343.597 veículos no mês de novembro, segundo o Detran (Departamento Estadual de Trânsito). “Toda fiscalização, seja ela por meio eletrônico ou por agentes de segurança, é benéfica pois visa prevenir comportamentos que colocam as pessoas em risco no trânsito. Seja pelo excesso da velocidade permitida ou avanço de sinal vermelho por exemplo”, afirmou a comandante da GMF (Guarda Municipal de Florianópolis), Maryanne Mattos. Na Capital, a Polícia Militar e a GMF não têm radares portáteis.

PMRv e PRF têm juntas quatro radares portáteis para a capital catarinense

O tenente-coronel da PMRv (Polícia Militar Rodoviária), Fábio Martins, lembrou que acidentes de natureza leve se transformam em gravíssimos em função do desrespeito ao limite de velocidade. Ele citou como exemplo a SC-401, que é uma das mais movimentadas do Estado, que passa de um VMD (Volume Médio Diário) de 65 mil veículos para 85 mil durante a temporada. Juntas, a PMRv e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) têm quatro radares portáteis em Florianópolis.

“A PMRv registrou um aumento nas ocorrências de capotamento e saída de pista após a retirada dos radares fixos há 15 anos. A corporação tem 34 radares portáteis no Estado e três estão em Florianópolis, sendo um para a utilização no período noturno. As estatísticas comprovam que 80% dos acidentes têm relação com a imprudência do condutor, pelo excesso de velocidade e ultrapassagens indevidas principalmente”, destacou o tenente-coronel.

Segundo o Detran, o tipo de infração mais comum no Estado, que corresponde a mais de 33% das notificações, diz respeito a transitar com velocidade superior à máxima permitida em até 20%. O inspetor da PRF, Adriano Fiamoncini, que tem apenas quatro quilômetros de rodovia na Capital, lamentou a ausência dos equipamentos fixos.

“Os radares fixos trabalham 24h e os portáteis não têm a mesma eficiência porque precisam do ser humano. Além disso, os portáteis não podem ser utilizados na chuva, porque são equipamentos caros e não são a prova d´água. Os quatros quilômetros da BR-282 em Florianópolis são fiscalizados pelo posto de Biguaçu, que conta com um radar portátil”, esclareceu Fiamoncini.

Fiscalização do avanço do sinal vermelho deve entrar em funcionamento em 2018

A autoridade de trânsito de Florianópolis, Deivid Fernandes da Rosa, também reconhece a importância dos equipamentos fixos para o controle das infrações. Apesar disso, ele informou que a prefeitura tem um projeto para implementar em 2018 a fiscalização para quem avança o semáforo na cor vermelha ou para sobre a faixa de pedestre. O radar para o controle de velocidade depende de um estudo técnico.

“Temos um projeto para adquirir um sistema para fiscalizar o avanço do sinal vermelho e a parada do veículo sobre a faixa de pedestre. O objetivo é colocar essa fiscalização em funcionamento ainda em 2018. Já o controle de velocidade ainda aguarda um estudo técnico mais elaborado para sabermos da necessidade desses equipamentos”, afirmou Deivid.


Fonte: Notícias do Dia

Prefeitura de Florianópolis abre inscrições para comércio ambulante no Réveillon

As inscrições podem ser feitas nesta na unidade do Pró-Cidadão do Centro

A prefeitura de Florianópolis publicou edital para os interessados em trabalhar com o comércio ambulante na festa da virada de ano, na avenida Beira-Mar Norte. Os selecionados poderão comercializar gelo, espetinhos e bebidas em caixa térmica. O edital prevê 71 vagas, distribuídas em três modalidades.

As inscrições podem ser feitas nesta terça (26) e quarta-feira (27) na unidade do Pró-Cidadão do Centro, na avenida Mauro Ramos, nº 224, das 8h às 17h. Caso haja mais inscritos que o número de vagas, haverá sorteio no dia 27. As autorizações estarão disponíveis para retirada no dia 28, das 8h às 12h, na SUSP. O edital completo pode ser conferido no site da prefeitura.

A programação da festa já foi divulgada e, além da apresentação de bandas locais, serão 12 minutos ininterruptos de fogos de artifício na avenida Beira-Mar Norte no Réveillon. Além da área central, também haverá show de fogos em alguns balneários da Capital.

>> Confira as vagas disponíveis
- 50 vagas para comércio de bebidas em caixas térmicas
- 20 vagas para comércio de espetinhos
- 01 vaga para comércio de gelo


Fonte: Notícias do Dia

Agências bancárias reabrem até quinta-feira para atendimento ao público

Na sexta-feira, as instituições financeiras funcionarão apenas para serviços internos

As agências bancárias voltam a funcionar normalmente a partir desta terça-feira (26) em todo o país, após o feriado de Natal (25). Na última semana do ano, o atendimento ao público vai até quinta (28) já que, na sexta-feira (29), as instituições financeiras estarão fechadas aos clientes, funcionando apenas para serviços internos, segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Nesta terça, as contas de consumo, como as de água, luz, telefone e de TV a cabo, bem como os carnês cujos prazos de pagamento venceram durante o feriado podem ser pagas normalmente nas agências.

No caso de boletos bancários, os clientes também podem fazer o agendamento em canais eletrônicos ou fazer pagamentos por meio do Débito Direto Autorizado (DDA). Também é possível usar os caixas eletrônicos, internet banking, mobile banking e o banco por telefone.

Em 2018, as agências reabrirão na terça-feira, dia 2 de janeiro.


Fonte: Diário Catarinense

Serasa aponta melhor Natal em sete anos

As vendas do Natal de 2017 no País tiveram o melhor desempenho desde 2010, revertendo três anos consecutivos de retração. O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio - Natal 2017 mostra crescimento de 5,6% na semana entre 18 e 24 deste mês em relação a igual período de 2016. No fim de semana que antecedeu o Natal, de 22 a 24, a alta foi de 0,8% na comparação com igual período do ano passado (de 16 a 18).

Só na cidade de São Paulo as vendas subiram 5,2% na semana natalina em relação a igual período de 2016, enquanto no fim de semana houve expansão de 0,6%.

Conforme os economistas da Serasa Experian, o aumento no volume de vendas do comércio reflete a recuperação da renda real dos consumidores, influenciada pelo recuo "sistemático" da inflação e pela queda "gradual" do desemprego, além da retomada da confiança e do crédito após a queda do juro.


Fonte: Diário Catarinense

Confira quatro projetos para resolver os gargalos da BR-101 em SC

O trecho de 100 quilômetros da BR-101 entre Palhoça e Itajaí acumula pelo menos quatro gargalos que necessitam de investimento e melhorias para que o trânsito flua. Na região da Grande Florianópolis, passam pelo menos 50 mil veículos por dia. O número dobra em dias de maior movimento. Filas são vistas duas vezes por dia. Confira os planos de investimento:

Florianópolis

Um estudo do Plamus, o Plano de Mobilidade Urbana da Grande Florianópolis, contratado pelo governo do Estado alerta que se nada for feito a curto prazo, as pontes Pedro Ivo e Colombo Salles vão entrar em colapso em 2019 por conta dos congestionamentos. O trecho entre a cabeceira das pontes e a BR-101 tem 5,6 km de extensão e um fluxo diário superior a 100 mil carros, o que torna o trânsito congestionado diariamente. Um projeto que prevê a construção de uma terceira faixa e ampliação de viadutos está prestes a sair do papel desde 2015. A obra é estimada em R$ 500 milhões.

Conforme o superintendente do DNIT em SC, Ronaldo Carioni, o projeto está em fase de aprovação, em Brasília. Ele informa que parte deste recurso (R$ 36 milhões) está garantida:

— Estamos finalizando um anteprojeto e vamos lançar uma licitação específica para desafogar a Via Expressa. Vamos alargar os acostamentos, nivelando eles com as pistas. Assim ficaríamos com três faixas em ambos sentidos.

Carioni explica que os viadutos da rodovia serão alargados para que caibam as três faixas, caso contrário, haverá estrangulamento do tráfego.

Com a terceira faixa, acredita Carioni, Florianópolis, Palhoça e São José terão condições de implantarem o BRT. A ideia do DNIT é fazer a obra em período noturno para evitar ainda mais congestionamentos. A previsão é 2018.

Palhoça

O principal gargalo de Palhoça é a região do Morro dos Cavalos. O DNIT aposta em abrir um túnel no local. Em maio, a licitação para esta obra foi cancelada por conta de um corte no orçamento da União. Em setembro, foi iniciado um estudo topográfico sobre a viabilidade do alargamento do trecho da BR-101 que corta o Morro dos Cavalos, com a criação de mais duas faixas. A ideia ainda é preliminar, mas seria uma alternativa ao túnel na região, que de acordo com determinação do Tribunal de Contas da União, só deve ser construído depois da finalização das duplicações das BRs 470 e 280.

— Eles têm uma certa razão nisso porque condiciona a BR-480 e a 280 a estarem concluídas. Como eu vou começar a obra nova se eu não consigo nem executar as que estão em andamento? — pondera Carioni.

Conforme o superintendente, o custo desta obra também gira em torno de R$ 500 milhões. O departamento precisa da totalidade desses recursos para executar o projeto. Depois que o estudo para a implantação de mais duas faixas estiver concluído, a previsão do DNIT é para o início de 2018, a proposta será levada para Ministério Público Federal e Funai.

Porto Belo

O próximo gargalo depois de Palhoça fica em Porto Belo. Passando o pedágio, a Avenida Governador Celso Ramos é o único acesso para as praias da cidade e de Bombinhas. Durante a temporada, motoristas levam até 3h para percorrer um trecho de 15 km. A solução do governo do Estado para desafogar o trânsito em Porto Belo e Bombinhas é a construção de um segundo acesso.

No dia 4 de dezembro, a Justiça acatou um pedido do Ministério Público Federal e determinou que sejam feitas audiências públicas nas duas cidades para discutir o projeto. Desde 2010 a obra é alvo de uma ação civil pública que questiona o trajeto escolhido para a estrada: a proposta passa pelo topo de três morros cercados de mata atlântica com cinco unidades de conservação no entorno.

A discussão deve ocorrer no mínimo 45 dias depois de ficar disponível à comunidade o parecer da Fatma sobre o último estudo ambiental apresentado pelo Estado, concluído este ano. O MPF requer, ainda, que a Justiça determine a publicidade de uma recente manifestação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) sobre a obra, já que a região possui sítios arqueológicos e uma comunidade quilombola.

Itajaí

A falta de continuidade das marginais à BR-101 e de melhorias em acessos como o da Rodovia Jorge Lacerda, que liga Itajaí ao Vale, resultará novamente em longos congestionamentos durante o verão 2018. A Autopista Litoral Sul, que administra estrada, não tem previsão de obras que desafoguem o fluxo de 50 mil veículos diários no trecho de Balneário Piçarras a Itapema. Pelo menos até 2033.

No final de novembro, a empresa apresentou à Associação Empresarial de Itajaí (Acii) propostas para amenizar as filas na BR. Só que os projetos dependem de aditivos ao contrato original de concessão que tramitam em Brasília — alguns deles há quatro anos, enrolados em questionamentos dos órgãos fiscalizadores. É o caso da continuação da marginal na ponte sobre o Rio Itajaí-Mirim, em Itajaí.

Há também projetos ousados como a demolição da ponte mais antiga sobre o Rio Itajaí-açu para construção de uma nova, com cinco faixas, sendo três para a BR-101 e duas para dar sequência à marginal.

Paulo Castro, diretor da Autopista Litoral Sul, quer apoio das entidades de classe para sensibilizar as autoridades sobre a urgência das obras. Estava programado para janeiro uma visita do ministro dos Transportes, Maurício Quintellam, à região quando o político trataria sobre esses aditivos para a BR-101. No entanto, a visita foi cancelada.


Fonte: G1SC

Feriados 2018: veja a lista de pontos facultativos e feriados nacionais

Ano terá nove feriados nacionais e cinco pontos facultativos. Portaria com o cronograma foi divulgada no 'Diário Oficial da União'.

O ano de 2018 terá nove feriados nacionais e cinco pontos facultativos, segundo portaria divulgada nesta terça-feira (26) pelo Ministério do Planejamento. Segundo o ministério, as datas deverão ser observadas pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo.

Confira a lista dos feriados e pontos facultativos de 2018:

1 de janeiro (segunda): Confraternização Universal (feriado nacional)
12 de fevereiro (segunda): Carnaval (ponto facultativo)
13 de fevereiro (terça): Carnaval (ponto facultativo)
14 de fevereiro (quarta): Quarta-feira de cinzas (ponto facultativo até as 14 horas)
30 de março (sexta): Paixão de Cristo (feriado nacional)
21 de abril (sábado): Tiradentes (feriado nacional)
1º de maio (terça): Dia Mundial do Trabalho (feriado nacional)
31 de maio (quinta): Corpus Christi (ponto facultativo)
7 de setembro (sexta): Independência do Brasil (feriado nacional)
12 de outubro (sexta): Nossa Senhora Aparecida (feriado nacional)
28 de outubro (domingo): Dia do Servidor Público (ponto facultativo)
2 de novembro (sexta): Finados (feriado nacional)
15 de novembro (quinta): Proclamação da República (feriado nacional)
25 de dezembro (terça): Natal (feriado nacional)
O calendário não inclui como feriado datas tradicionais como o Carnaval (12 e 13 de fevereiro), que é ponto facultativo, e Corpus Chisti (31 de maio), também incluído como ponto facultativo.

De acordo com o Ministério do Planejamento, os dias de guarda dos credos e religiões não relacionados na portaria poderão ser compensados, desde que seja autorizado pelo responsável pela unidade administrativa.


Fonte: EconomiaSC

Florianópolis é cidade mais reservada para Réveillon no Airbnb

Feriado de Réveillon vai gerar R$ 82,5 milhões em renda extra para os anfitriões do Airbnb no Brasil; plataforma receberá mais de 150 mil hóspedes no país

Os usuários do Airbnb no Brasil reforçam uma preferência nacional: a de que o período do Réveillon é um dos preferidos para aproveitar as festas, as férias escolares e o verão para viajar.

O país receberá mais de 150 mil hóspedes da plataforma, em viagens domésticas e internacionais, para celebrar o Ano Novo, mais que o dobro (105%) com relação ao ano anterior.

Isso representa uma renda extra proveniente do aluguel por temporada de cerca de R$ 82,5 milhões para os bolsos dos anfitriões, sem contar a atividade econômica nas cidades proveniente do gasto dos viajantes no entorno dos imóveis locados.

Crescimento no número de reservas

“Sabemos da importância do Réveillon para os brasileiros e estamos muito satisfeitos em ver que o país faz parte da lista dos que mais enviará hóspedes do Airbnb no mundo para o feriado, tanto de turismo doméstico como internacional. Para aqueles que não se programaram a plataforma ainda possui anúncios disponíveis, com variedade de preços, para a virada do ano, tanto no Brasil quanto em outros 190 países onde a plataforma opera”, afirma Leonardo Tristão, diretor geral do Airbnb no Brasil.

Uma pesquisa do Airbnb feita com base nas reservas efetuadas até o momento na plataforma mostra que o brasileiro optou, em sua maioria, por viagens domésticas para este final de ano.

Os cinco destinos mais procurados são nacionais e mostram que a superstição de pular ondinhas continua em alta. Puxam a lista as cidades praianas de Florianópolis, Rio de Janeiro e Guarujá.

Preferência

Florianópolis é a cidade que mais receberá brasileiros para a virada do ano e também uma das que registrou o maior crescimento no período em comparação ao ano passado. De acordo com as reservas feitas, foi registrado um número 138% maior do que em 2016, isso representa um acréscimo financeiro significativo para o destino.

Um estudo da FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) calcula que em 2016 a atividade econômica do Airbnb no PIB do município – entre hospedagem e gastos na cidade – foi de R$ 94 milhões, o equivalente a 3,6 mil novos empregos na capital.

Já o Rio de Janeiro, que é a segunda cidade na preferência dos brasileiros, se destaca por ser a primeira do país na lista de destinos escolhidos por estrangeiros. O destino aparece em 13º lugar no ranking internacional de mais reservados no mundo para passar Réveillon. O mesmo estudo da FIPE mostra que a atividade do Airbnb no Rio, em 2016, respondeu por R$ 956 milhões do PIB do município. Esse valor equivale a 29,5 mil novos empregos na cidade.

Viagens internacionais

Dentre as viagens internacionais Orlando, Punta Del Este, Lisboa e Paris estão entre as preferidas dos usuários brasileiros da plataforma.

Até o momento, mais de 167 mil brasileiros escolheram o Airbnb para fazer suas reservas em imóveis nos mais variados destinos dentre as mais de 65 mil cidades onde a plataforma está disponível pelo mundo.

Isso coloca o Brasil em quinto lugar na lista de países com o maior número hóspedes viajando durante o Réveillon, atrás apenas de Estados Unidos, França, Reino Unido e Austrália.

Destinos nacionais e internacionais mais reservados pelos brasileiros para o Réveillon:

Florianópolis, SC
Rio de Janeiro, RJ
Guarujá, SP
São Sebastião, SP
Cabo Frio, RJ
Orlando, EUA
Gramado/Canela, RS
Ubatuba, SP
Punta Del Este, Uruguai
São Paulo, SP
Ilhabela, SP
Fortaleza, CE
Búzios, RJ
Lisboa, Portugal
Paris, França

O interesse do brasileiro por viagens para o Sul e Sudeste do Brasil se demonstra uma forte tendência. Dentre as 15 cidades que mais cresceram em número de reservas da plataforma, 14 são para destinos nas duas regiões brasileiras, com forte presença de cidades paranaenses e praias catarinenses, paulistas e cariocas.

No top 3 estão Itanhaém, a turística Foz do Iguaçú e Matinhos, que também figura na recém divulgada lista global do Airbnb de destinos tendência para 2018.

Itanhaém, SP – 273%
Foz de Iguaçú, PR – 272%
Matinhos, PR – 207%
Caraguatatuba, SP – 206%
Capão da Canoa, RS – 198%
Curitiba, PR – 191%
João Pessoa, PB – 144%
Guarapari, ES – 142%
Resende, RJ – 142%
Cabo Frio, RJ – 142%
Ubatuba, SP – 139%
Florianópolis, SC – 138%
Imbituba, SC – 137%
Santos, SP – 134%
Campos do Jordão, SP – 130%


Fonte: Veja

2017 termina com dez candidatos à Presidência da República

Lista inclui de tradicionais postulantes, como Lula, Alckmin, Marina e Ciro, a nomes inéditos na disputa, como Bolsonaro, Meirelles, Manuela e Amoêdo

2017 foi um dos anos mais tumultuados da vida política brasileira, principalmente pelo fato de Michel Temer (PMDB) ter se tornado o primeiro presidente da República no cargo denunciado por crime comum – foram três acusações, por corrupção passiva, obstrução de Justiça e formação de quadrilha, todas elas enterradas pela Câmara dos Deputados em meio a negociações de cargos e emendas em massa pelo governo.

Mas não é por isso que a cadeira de comandante máximo do país deixou de ser desejada. Ao longo do ano, nada menos que dez nomes apareceram como postulantes à sua sucessão – a lista deverá aumentar ainda durante o primeiro semestre de 2018.

A relação de presidenciáveis inclui desde velhos nomes da política como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), a novidades, como o banqueiro João Amoêdo, do Partido Novo, o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro (PSC), e a deputada estadual gaúcha Manuela D’Ávila (PCdoB).

Houve também o lançamento de candidaturas um tanto folclóricas, com quase nenhuma chance de se tornarem realidade, como as do cirurgião plástico e apresentador de TV Roberto Miguel Rey Júnior, o Dr. Rey, e a ex-apresentadora do Jornal Nacional, a jornalista Valéria Monteiro.

Outros candidatos devem surgir no espectro mais à esquerda do cenário político, como a dos nanicos PSTU e PCO e, muito provavelmente, a do PSOL, que “namora” Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), para sair candidato – a ex-deputada federal Luciana Genro é outra probabilidade.

Também é provável que nanicos contumazes na cédula de candidatos presidenciais, como José Maria Eymael (PSDC), candidato em 1998, 2006, 2010 e 2014, participem novamente da disputa.

O ano também teve pré-candidaturas que fizeram muito barulho, mas que ficaram pelo caminho, como as do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e do apresentador de TV Luciano Huck.

O número de candidatos já na disputa para 2018 está longe de ser um recorde – em 1989, foram 22 candidatos – e está próximo dos contendores das três últimas eleições: oito em 2006, nove em 2010 e onze em 2014.

Veja quem são os pré-candidatos com mais possibilidades de confirmarem suas candidaturas ao Planalto em 2018.

1- Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
2- Geraldo Alckmin (PSDB)
3- Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
4- Ciro Gomes (PDT)
5- Marina Silva (Rede)
6- Alvaro Dias (Podemos)
7- Henrique Meirelles (PSD)
8- Manuela D'Ávila (PCdoB)
9- João Amoêdo (Novo)
10- Paulo Rabello de Castro (PSC)


Fonte: Folha de S.Paulo

A Receita Federal anunciou que vai monitorar 43 mil pessoas físicas e jurídicas em 2018.

Segundo a portaria, publicada nesta terça-feira (26), o acompanhamento diferenciado vale para pessoas físicas com rendimentos acima de R$ 10 milhões em 2016, ou outros indicadores de patrimônio alto (veja abaixo).

Já pessoas físicas especiais, com um monitoramento ainda maior, são as que tiveram, em 2016, rendimento acima de R$ 200 milhões, bens e direitos acima de R$ 500 milhões ou operações em renda variável acima de R$ 100 milhões.

O acompanhamento diferenciado e especial existe desde 2015. Segundo o fisco, esses contribuintes são responsáveis por 60% da arrecadação federal.

Para pessoas físicas, os parâmetros se tornaram mais amplos no ano que vem, incluindo mais contribuintes.

Neste ano, o regime valia para quem tinha rendimentos acima de R$ 17 milhões, ou bens acima de R$ 82 milhões, valores que diminuíram na portaria publicada nesta terça.

Já para empresas, ocorreu o contrário. Neste ano, foram monitoradas as empresas com receita superior a R$ 180 milhões, patamar que aumentou para R$ 200 milhões para o ano que vem.

Acompanhamento diferenciado e especial em 2018

PESSOAS JURÍDICAS DIFERENCIADAS

> Receita bruta acima de R$200 milhões em 2016; ou
> Massa salarial acima de R$65 milhões em 2016; ou
> Débito declarado em DCTF acima de R$25 milhões em 2016; ou
> Débito declarado em GFIP acima de R$25 milhões em 2016.

PESSOAS JURÍDICAS ESPECIAIS

> Receita bruta acima de R$1.800 milhões em 2016; ou
> Massa salarial acima de R$200 milhões em 2016; ou
> Débito declarado em DCTF acima de R$200 milhões em 2016; ou
> Débito declarado em GFIP acima de R$200 milhões em 2016.

PESSOAS FÍSICAS DIFERENCIADAS

> Rendimentos acima de R$10 milhões em 2016; ou
> Bens e direitos acima de R$20 milhões em 2016; ou
> Operações em renda variável acima de R$15 milhões em 2016.

PESSOAS FÍSICAS ESPECIAIS

> Rendimentos acima de R$200 milhões em 2016; ou
> Bens e direitos acima de R$500 milhões em 2016; ou
> Operações em renda variável acima de R$100 milhões em 2016.

Acompanhe a CDL de Florianópolis nas redes sociais:

Facebook Twitter Instagram YoutubeCDL de Florianópolis

Para garantir que nossos informativos cheguem à sua caixa de entrada, adicione
o e-mail contato@newscdlfpolis.com.br ao seu catálogo de endereços.

Voltar